quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Dádivas e mais dádivas

Após as comemorações do dia aniversário, pacotes e mais pacotes de presentes abertos, telefonemas diversos, voltamos para um dia normal. Levei o Leleco pra escola e tinha reunião com a Coordenadora do SAA. Sai de lá e fui ao Shopping. Queria andar, espairecer e assistir a um filme, sessão das 13 horas, terça-feira, só eu e Deus. Acabei desistindo do cinema.

Passar algum tempo sozinha sempre me leva a reflexões e hoje minhas reflexões foram em torno das bênçãos da minha vida e o quanto sou grata à Deus por tudo que já vivi.

Fui criada de forma mista. Parte pelos avós maternos, parte pelos meus pais, até os sete anos de idade. Sempre tivemos uma vida humilde, mas grandes alegrias da minha infância são guardadas na memória através das lembranças dos sábados, os quais reuniam-se minha mãe e suas duas irmãs e os nove netos. Meu avô chegava do trabalho, passava na padaria, comprava muitos pães, muita mortadela e várias caixas de bombons Garoto. Era uma grande festa. Ao final do dia, voltávamos para nossa, sempre com a promessa da minha mãe de “acertar as contas” devido às nossas bagunças e abusos na casa da vovó.

Educar filhos é uma tarefa difícil e só sabemos disso, quando temos os nossos. Sempre falo pra minha mãe e pra minha sogra que ambas são vitoriosas. Criar três filhos é uma tarefa difícil. Não importa o que cada um conquistou na vida, pois não é assim que se mensura aquilo que ensinou-se aos filhos. O que importa, na verdade, são os valores que lhes foram passados e no caso dos meus pais e dos meus sogros, criaram seus filhos no caminho da honestidade, transformando-os em seres de bem. Ninguém se drogou, ninguém se desviou do caminho do bem e todos foram capazes de seguirem seus rumos.

Pensei no quanto sou abençoada por Deus. Fui agraciada por nascer em uma família, por ter estrutura para me tornar alguém na vida. Casei com o homem dos meus sonhos. Tive dois filhos lindos e perfeitos. Nasci com saúde, sabedoria e inteligência para conquistar aquilo que acho necessário, sem jamais passar por cima de ninguém.

Muitas pessoas passaram pela minha vida. Todas elas me ensinaram alguma coisa. Umas, ensinaram-me que não se pode confiar em qualquer um, pois uma hora, dá-se o bote, trai-se, como uma cobra. Outras, me trouxeram amor, alegria, ternura, amizade, companheirismo, crescimento pessoal, sabedoria. Tenho certeza que aquelas foram tiradas do meu circuito pelo mesmo anjo que trouxe essas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário