quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Novidades (ou não)

Adoro navegar na Internet. Poucas coisas me tiram o bom humor e ultimamente, uma das coisas capazes de me deixar realmente com raiva é a conexão sair do ar. Em junho passado, cheguei a ficar vinte e cinco dias sem conexão. Procurei várias alternativas, tentei trocar a empresa fornecedora do serviço e descobri que não há muitas opções. Temos apenas três operadoras e cada uma tem o seu lado imprestável. Tive meus momentos de saudades do tempo em que ficamos fora do Brasil e não me lembro de ter ficado sem conexão qualquer dia que seja. O jeito foi esperar o serviço voltar, com toda a paciência que, muitas vezes, me surpreendo ser capaz de exercer.

Gosto de navegar em todos os tipos de sites e portais. Tudo que é possível comprar pela web, eu compro. Há três anos, descobri a facilidade do supermercado virtual. Entro no site da empresa, faço as compras deitada no sofá e por uma média de R$ 10,00 pelo serviço de entrega, tenho tudo entregue em casa: frutas e verduras selecionadas, carnes embaladas e separadas de acordo com o meu pedido, produtos com um longo prazo para o vencimento e tudo isto com apenas alguns cliques.

Também gosto de descobrir novidades na rede. Muitos anos atrás, ainda na época da fita k7, comprei o áudio-livro “Confissões de Adolescentes”, da então jovem escritora Maria Mariana e avidamente, ouvi a obra no meu velho “walkman”. Dois anos atrás, meu marido me ofereceu “O Monge e o Executivo”, um álbum com alguns cd’s da obra na íntegra. Apesar de ser uma devoradora compulsiva de livros, essa idéia de áudio-livro me agrada e muito e em uma das minhas navegações, descobri um número incrível de obras hoje disponíveis neste formato. Comecei comprando a biografia de Gandhi. Como o formato é MP3, já não falamos de alguns cd’s, mas de apenas um, com toda a obra compactada. Transferi para meu IPod e no dia seguinte, lá estava eu em busca de novas obras. Ao todo, adquiri catorze obras em dois meses. Já nem sei mais o que é música no IPod. Passo todo o tempo com um livro ao ouvido, vivendo a emoção única de ter grandes obras narradas na íntegra, o que me remete a sensações muito diferentes daquelas sentidas ao fazer a leitura do livro de papel.

Aos amantes da tecnologia, para os curiosos pelo assunto, fica aqui a minha dica. As livrarias Saraiva e Fnac Pontocom, até onde eu saiba, são as únicas que trabalham aqui no Brasil com este material. Também há a possibilidade de comprar diretamente da editora http://www.audiolivro.com.br/. Os amigos que já ouviram minhas aquisições, gostaram e aprovaram a idéia.

Um comentário:

  1. Ursa, a idéia do audiobook é sensacional! vou aderir!

    ResponderExcluir